Controle de EPI

Controle de EPI: Como agilizar seu processo

Um dos principais desafios da área de Segurança e Saúde do Trabalho é dar agilidade e mobilidade ao processo de Controle de Entrega de Equipamento de Proteção Individual (EPI). Observa-se que é um dos itens mais inspecionados por agentes fiscalizadores e que, comumente, é um processo artesanal (manual) que demanda a elaboração de fichas de controle de entrega e o preenchimento manual com informações sobre o nome dos trabalhadores, datas, quantidades, etc. É comum que o profissional utilize planilhas eletrônicas que caracterizam a entrega, troca e devoluções, gerando um volume elevado de informações, dificuldades para acessar e consumindo um tempo elevado na coleta e análise dos dados.

A melhoria do processo de controle de entrega de EPI’s promove um ambiente de trabalho seguro, otimiza o controle documental da Segurança e Saúde do Trabalho (SST), dá garantia de atendimento dos requisitos das Normas Regulamentadoras (NR’s), reduz acidentes de trabalho e a probabilidade de ações trabalhistas decorrentes de falhas no controle.

Para garantir os benefícios do Controle de Entrega de EPI’s e aumentar a qualidade e produtividade dos profissionais da área de SST é necessário conhecer o próprio processo e buscar tecnologias que garantam a mobilidade e controle da informação.

Conheça os principais processos para controle de EPI

Entrega do EPI

O objetivo é registrar o fornecimento gratuito ao trabalhador do EPI adequado ao risco de cada atividade realizada na indústria, conforme o disposto no ANEXO I da NR 06 – Equipamento de Proteção Individual – EPI. É necessário garantir que o EPI tenha a indicação do Certificado de Aprovação (CA), a data de validade e se foi inspecionado, garantindo o correto funcionamento, a higienização e a manutenção periódica. O trabalhador recebe uma comunicação (recibo) de entrega do EPI da empresa com informações sobre a Função Exercida, Tipo de equipamento, Número de CA, Quantidade Recebida, Data de Retirada e Devolução do EPI, Motivo para Entrega e Recebimento (MER) e Assinaturas por parte da Empresa e Trabalhador.

Troca & devolução de EPI’s

Registrar a troca e devolução do EPI por meio do prontuário dos trabalhadores que receberam EPI’s, mantendo as informações atualizadas e disponíveis para a análise dos profissionais de SST.

Higienização & manutenção de EPI’s

É necessário desenvolver atividades que garantam o controle da entrega dos EPI’s higienizados aos trabalhadores, livres de resíduos, impurezas, suor, entre outros, evitando danos à saúde do trabalhador e a degradação do material do EPI. Exigência prevista na NR 06 – item 6.6.1 “f” e inserida nas informações que serão encaminhadas para diferentes instituições por meio do Sistema Digital e-Social.

Pesquisas demonstram que a Higienização & Manutenção é um processo crítico pois dificilmente os fabricantes de EPI’s demonstram os produtos de limpeza adequados aos materiais usados na fabricação dos EPI’s, reduzindo com isso a vida útil (durabilidade e confiabilidade) do equipamento.

Treinamento para uso do EPI

Desenvolver um programa de treinamento permanente sobre o uso adequado, armazenamento e conservação dos EPI’s. É destacada a necessidade de registrar e controlar os treinamentos ministrados e realizados pelos trabalhadores. A qualificação do profissional que usa o equipamento reduz a degradação, envelhecimento e, principalmente, falhas dos EPI’s decorrentes do uso e armazenamento inadequado.

Gestão de estoques

Manter um sistema atualizado sobre a quantidade disponível dos equipamentos para a entrega, reposição ou troca. É necessário desenvolver indicadores de gestão de estoques que apoiem as atividades de compra (custos), controle de armazenamento (qualidade) e tempo (reposição), garantindo a disponibilidade dos EPI’s para a entrega ao trabalhador.

A substituição das tradicionais fichas de controle de EPI’s por um processo de controle ágil e mobile melhora a tomada de decisão e, principalmente, garante a saúde e segurança do trabalhador no dia a dia da indústria. A melhoria também representa o atendimento aos requisitos das NR’s (NR 01, 06, 07, 09, 17, 18, entre outras), exigências do e-Social e redução de custos dos EPI’s. Aspectos que reduzem os acidentes de trabalho e podem eliminar ações trabalhista decorrentes sobre as exigências do Controle de Entrega de EPI’s.

Referências

VIEIRA, D.E. Desenvolvimento e avaliação de produtos de limpeza para equipamentos de proteção individual e coletivos aplicados na manutenção de redes de energia elétrica. Dissertação. Universidade Federal do Paraná. Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Ciência dos Materiais. Disponível em: <https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/37040>. Acesso em: 25/06/2016.

NORMA REGULAMENTADORA – NR 06 – Equipamento de Proteção Individual – EPI. Portaria GM n° 3.214, de 08 de junho de 1978. Atualizada: Portaria MTE n° 505, de 16 de abril de 2015. Disponível em: <http://trabalho.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR6.pdf>. Acesso em: 27/06/2016.

Comments:1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.