Saúde e segurança do trabalho

Monitoramento das ações de segurança do trabalho

Uma das principais práticas utilizadas para planejar, promover o processo de melhoria contínua e tomar decisões no Sistema de Saúde e Segurança do Trabalho em uma indústria é o Monitoramento e Medição de Desempenho.

Benefícios da prática de monitoramento e medição da SST

  • Permitir a compreensão sobre a situação atual de SST na indústria;
  • Monitora acidentes, incidentes, não-conformidades, treinamentos, entre outros aspectos fundamentais para controle e melhoria do SST;
  • Permite o registro e gerenciamento de informações sobre SST, gerando um histórico de resultados de investimentos, auditorias, análises etc. de SST;
  • Conhecer o desempenho do processo de gestão de Saúde e Segurança do trabalho;
  • Identificar os principais pontos de melhoria da SST da indústria;
  • Obter parâmetros confiáveis para o processo de tomada de decisão;
  • Auxiliar o processo de implementação e gerenciamento das melhorias e mudanças na área de SST.

Monitorar e medir o desempenho da SST

A indústria deve adotar como prática e estabelecer procedimentos para monitorar e medir frequentemente os resultados (desempenho) da saúde dos trabalhadores e segurança do ambiente de trabalho.

A prática de Monitoramento e Medição de Desempenho da SST deve subsidiar:

  • Indicadores de desempenho qualitativos e quantitativos apropriados às necessidades dos gestores, engenheiros e técnicos da área de SST ou responsáveis pela tomada de decisão no processo de gestão da SST;
  • Indicadores de desempenho que monitorem os resultados dos processos operacionais e sejam alinhados com a gestão de saúde e segurança, parâmetros operacionais, assim como, com a legislação e regulamentação pertinente da área de SST como, por exemplo, as Normas Regulamentadoras (NR’s), normas técnicas da ABNT, Recomendações Técnicas de Procedimentos da Fundacentro;
  • Implantação de ações preventivas, corretivas e pró-ativas que visam reduzir ou eliminar riscos associados a eventos, situações ou fontes com probabilidade de gerar acidentes de trabalho, doenças profissionais, incidentes, danos materiais ou a combinação destes;
  • Uso de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC’s) que deem suporte a coleta, análise, controle, melhoria e comunicação dos resultados da área de SST de uma forma segura no ambiente de trabalho;
  • Registro de dados e resultados de monitoramento e medições que facilitem a análise (quantitativa) das ações corretivas e preventivas implantadas pelos profissionais de SST.

Indicadores para a segurança e saúde do trabalho

A seguir, são destacados alguns indicadores de desempenho para monitorar e medir a SST e seus objetivos:

% de Quase Acidentes Resolvidos
Monitorar os resultados sobre o núm. de registros de incidentes pelo núm. de registros investigados pelos profissionais de SST.

Acidentes de Trabalho
Avaliar o núm. de não-conformidades que contribuíram para a ocorrência de acidentes de trabalho.

Integração dos Trabalhadores no Ambiente de Trabalho
Monitorar a % de treinamento realizado sobre o núm. de funcionários contratados pela indústria.

Controle de Treinamento
Monitorar a % de treinamento realizado pelo número de funcionários que necessitam passar por treinamentos exigidos pelas NR’s.

Investimento em EPI’s
Monitorar o custo médio (consumo de EPI’s) por funcionário.

PPRA
Monitorar a % de ações resolvidas pelo núm. de ações planejadas no PPRA por um determinado período.

Auditoria CIPA
Avaliar a % de Não-conformidades corrigidas pelo núm. de Não-conformidades registradas pela CIPA

A quantidade e o tipo de Indicador de Desempenho de SST dependerá de vários elementos da indústria como, por exemplo, porte, operações industriais, número de funcionários, entre outros. Recomenda-se que o Indicador de Desempenho seja caracterizado a partir de um título, objetivo, fórmula, meta, responsável, frequência e ação corretiva.

Referências

OHSAS 18001 – Especificação para Sistemas de Gestão de Saúde e Segurança. Bureau Veritas do Brasil, 2006.

NEELY, A.D., et al. Design performance measures: a structure approach. International Hournal of Operations and Production Management. 17 (11), 1997, p.1131-1152.

BRAZ, R.G.F., SCAVARDA, L.F., MARTINS, R.A. Reviewing and improving performance measurement systems: na action research. Int. J. Production economics. 133, 2011, p.751-760.

Comments:2

Deixe uma resposta