Obrigaçoes a menos nos proximos anos

Como o eSocial irá simplificar 15 obrigações legais

A grande vantagem do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial) é a unificação do envio dos formulários, declarações, termos e documentos informativos ao governo no que se refere às obrigações trabalhistas, fiscais e previdenciárias.

O eSocial permite reduzir a burocracia no cumprimento das obrigações legais dos empregadores e contribuintes. Outra facilidade é que o governo vai modificar a forma de envio de no mínimo 15 obrigações legais que servem de base para calcular os encargos tributários e fornecem ao Fisco informações que validam o pagamento do tributo.

Os dados estarão disponíveis aos órgãos competentes do governo federal – Caixa Econômica Federal, Ministério da Previdência Social (MPS), Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) e Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) – que terão acesso às mesmas informações enviadas ao sistema digital do Ambiente Nacional do e-Social.

Em 2017, muitas obrigações como o CAGED e a RAIS solicitam dados repetitivos em períodos e de formas diferentes. Para evitar esta duplicidade, diversas obrigações serão adaptadas para facilitar consultas dos órgãos competentes a partir da implantação do eSocial.

É importante ressaltar que o eSocial não cria, modifica ou exclui qualquer uma das obrigações previdenciárias, trabalhistas e tributárias, mas apenas colabora para a funcionalidade do cumprimento das obrigações já vigentes.

1) Livro de registro de empregado.

O registro dos trabalhadores é uma obrigatoriedade conforme art. 41 da CLT e será realizado por meio de um sistema eletrônico.

2) Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT)

O preenchimento do formulário da CAT, será realizado por meio do evento S-2210 – Comunicação de Acidente de Trabalho.

O comunicado do acidente de trabalho será registrado pelo empregador/contribuinte/órgão público no o evento S-2210 – Comunicação de Acidente de Trabalho mesmo que não haja afastamento do trabalhador.

A iniciativa da Comunicação de Acidente de Trabalho será realizada também pelo empregador, por ordem judicial ou por determinação do órgão fiscalizador e isso deve ser informado. Caso o acidente se refira a trabalhador de empresa terceirizada, a mesma deve informar o CNPJ do local do acidente. Em caso de óbito, após o comunicado imediato, o evento deve ser retificado através de informações mais detalhadas do ocorrido. Haverá códigos previstos (Tabela 24 – eSocial), que traz a carcaterização de todas as hipóteses de acidente de trabalho previstas na legislação que serão utilizados como base de preenchimento.

No eSocial, o número da CAT é por sua vez, o número do recibo deste evento. Este número deve ser armazenado para que nos casos de reabertura possa ser utilizado como referência da CAT de origem.

Caso o acidente de trabalho resulte em afastamento do empregado, deve também, o empregador, obrigatoriamente enviar o evento S-2230 – Afastamento Temporário. A informação do código da Classificação Internacional de doenças – CID é obrigatória na CAT, por se tratar de evento de notificação compulsória conforme prevê o art. 22 da Lei nº. 8.213, de 1991 e no art. 169 da CLT.

A CAT deve ser feita até o primeiro dia útil seguinte ao da ocorrência do acidente e em caso de morte, a informação prévia tem que ser imediata.

3) Perfil profissiográfico previdenciário (PPP)

Vários eventos relativos à segurança e saúde do trabalhador vão fazer parte do conjunto de informações do Perfil do Trabalhador.

No Evento S-2220 – Monitoramento da Saúde do Trabalhador será feito o
acompanhamento da saúde do funcionário durante todo período do seu contrato de trabalho, constando informações referentes aos atestados de saúde ocupacional (ASO) e seus exames complementares. As informações relativas a função e ao ambiente em que o trabalhador exerce suas atividades são de extrema importância para o PPP e devem ser preenchidas da maneira mais fidedigna possível.

Desta forma, não haverá um evento específico para o PPP. Os dados estarão contidos em diversos eventos. No entanto, não haverá nada novo, alterado ou eliminado em relação ao que já é exigido atualmente.

4) Arquivos eletrônicos entregues à fiscalização (Manad – Manual Normativo de Arquivos Digitais).

Não serão necessários no que se refere às informações relativas aos empregados.

5) Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS)

A Guia de Recolhimento do FGTS será gerada dentro do eSocial através do envio do evento S-1299 – Fechamento dos Eventos Periódicos.

 

Já viu o eBook que escrevemos sobre o eSocial?

Fizemos um compilado de informações relevantes para a segurança do trabalho. Clique e confira o eBook – Conectando o eSocial e a Segurança e Saúde do Trabalho

6) Informações à Previdência Social (GFIP)

Informações como os dados da empresa, dos trabalhadores, remunerações, fatos geradores de contribuições previdenciárias, valores devidos ao INSS e FGTS, informações que serão  enviadas através de diversos eventos que compõem o eSocial.

7) Relação Anual de Informações Sociais (RAIS)

Não precisará ser enviada anualmente. Todos as informações de vínculos laborais do empregador vão estar cadastradas no ambiente do eSocial.

No Evento S-2100 – Cadastramento Inicial do Vínculo, o empregador envia todos os vínculos ativos com seus respectivos dados cadastrais atualizados. No caso de um vínculo novo, o mesmo será informado através do Registro de Eventos Trabalhistas – RET.

8) Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED)

De forma semelhante ao exposto na RAIS as informações entregues através do CAGED estarão contidas no Evento S-2100 – Cadastramento Inicial do Vínculo na ocasião da implantação do eSocial e posteriormente através do Registro de Eventos Trabalhistas – RET.

9) Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte – DIRF

As informações referente a DIRF estarão no evento S-1210 – Pagamentos de Rendimentos do Trabalho.  A responsabilidade de efetuar os cálculos continua sendo da fonte pagadora (empregador).

10) Comunicação de Dispensa – CD

A Comunicação de Dispensa vai ocorrer com base no evento S-2250 – Aviso Prévio para registrar a comunicação e o possível cancelamento do aviso prévio de iniciativa do empregador sempre que ocorrer a comunicação da rescisão do contrato de trabalho, sem justa causa.

O aviso prévio indenizado não gera o envio deste evento, constando apenas no evento S-2299 – Desligamento.

11) Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS

A CTPS a partir de 2018 passará a ser oficialmente eletrônica.

12) Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais – DCTF

Vai estar integrada com as informações do eSocial que servirão de base para o apuramento automático de débitos ou créditos, sem que o cliente aguarde pela apuração manual da Receita Federal.

13) Quadro horário de Trabalho, QHT

No evento S-1050 – Tabela de Horários/Turnos de Trabalho constam informações que vão identificar o horário contratual, apresentando o código e período de validade do registro. Os dados cadastrados serão utilizados para validação dos eventos do eSocial.

14) Folha de pagamento

A Folha de Pagamento no eSocial com base de uma série de informações que refletem na remuneração de todos os trabalhadores que estiveram a serviço do empregador/contribuinte/órgão público naquela competência. No entanto, cada trabalhador é tratado individualmente, de forma que a retificação da remuneração de um trabalhador não afeta os demais.

A Folha de Pagamento, com eventos por trabalhador, deve ser enviada com prazo para transmissão e fechamento até o dia 07 do mês seguinte ao do período de apuração, antecipando-se o vencimento para o dia útil imediatamente anterior, em caso de não haver expediente bancário.

15) Guia da Previdência Social, GPS

A Guia da Previdência Social (GPS) é o documento hábil para o recolhimento das contribuições sociais a ser utilizada pela empresa, contribuinte individual, facultativo, segurado especial e empregador doméstico. Para obrigações referentes às competências 10/2015 e posteriores, foi instituído o regime unificado de pagamento de tributos, de contribuições e dos demais encargos do empregador doméstico (Simples Doméstico), cujo recolhimento é realizado por meio do Documento de Arrecadação do eSocial (DAE).


As obrigações não serão eliminadas automaticamente. Faz-se necessário que cada órgão competente oficialize a necessidade de não mais entregar tais declarações através de atos normativos.

As mudanças ocorridas pela reforma trabalhista foram incorporadas pelo Governo Federal na versão 2.4 do eSocial cujo acesso já está disponível para as empresas. Desta forma, já será possível admitir um trabalhador para uma jornada de trabalho intermitente (esporádico), contratar trabalhador por empreitada ou um funcionário home office.

 

Quer saber mais sobre mudanças no eSocial?

As mudanças no esocial 2018 são uma realidade que têm preocupado muitos empregadores Brasil afora.

Comments:1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.