Riscos Químicos

Riscos Químicos: Como lidar com eles da maneira correta

Durante a rotina do trabalho, os trabalhadores são expostos diariamente à diversos riscos ocupacionais, tais como, riscos de acidente de trabalho, problemas com ergonomia, estresse, entre outros, no entanto, dentro dos mais perigosos encontramos os riscos químicos .

Os riscos químicos além de poderem acarretar em doenças devido à exposição constante dos trabalhadores à agentes químicos, possuem alta probabilidade de serem motivos de acidentes.

cientistas manipulando produtos químicos

A Fabricação de Produtos Químicos é uma atividade econômica que demanda para o trabalhador uma aposentadoria especial, devido a constante exposição aos agentes nocivos químicos ou associação de agentes prejudiciais à saúde ou à integridade física.

Observa-se que apenas 5 atividades econômicas são responsáveis por 60% dos acidentes registrados no período de 2015 a 2017, sendo que, a indústria de Fabricação de Cloro e Álcalis (CNAE 20.11) responde por 16%,

Seguido pelas atividades de Fabricação de Intermediários para Fertilizantes (CNAE 20.12) e Fabricação de Adubos e Fertilizantes (CNAE 20.13), com 15% e 13% de registros de acidentes.

Respectivamente. em 4° e 5° lugar aparecem a indústria de Fabricação de Gases Industriais (CNAE 20.14) e a Fabricação de Produtos Químicos não Especificados Anteriormente, com 8% de acidentes de trabalho cada uma por ano, em média no mesmo período.

Estatísticas que indicam que acontecem aproximadamente 3 acidentes de trabalho a cada hora trabalhada nas empresas que Fabricam Produtos Químicos, principalmente, os inorgânicos.

distribuição acidentes de trabalho 2017
distribuição acidentes de trabalho 2017

Ou seja, os produtos químicos são responsáveis pela maior parte dos acidentes de trabalho ocorridos no país, portanto esforços devem ser realizados por todos para estabelecer e criar ambientes de trabalho com mais salubridade e seguros para estes trabalhadores.

O que é um risco químico?

O risco químico é um tipo de risco ambiental (aquele que o trabalhador é exposto no ambiente de trabalho), tal qual os físicos e biológicos, porém o risco químico trata da probabilidade da exposição do trabalhador à agentes químicos, que geralmente são danosos à nossa saúde.

E o que é um agente químico?

Os agentes químicos são substâncias ou compostos que possam penetrar no organismo por meio da respiração, em forma de poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases ou vapores, ou também, dependendo da atividade que é realizada e da maneira que o agente é manipulado possam ter contato ou ser absorvidos através da pele ou até mesmo por ingestão.

Tipos de agentes químicos

Como qualquer substância, os agentes químicos podem ser encontrados nos três estados físicos da matérias (sólido, líquido e gasoso) e a maneira da absorção dele pelo corpo está diretamente atrelada ao seu estado.

Os tipos de agentes químicos são:

Gasosos: Qualquer substância em estado gasoso como: Nitrogênio, Dióxido de Carbono, propano, etc. Esse agentes são principalmente absorvidos por meio respiratório, porém em certos casos podem ser absorvidos em contato com mucosas ou com a pele;

nitrogenio
Gás nitrogênio, comumente usado para refrigeração

Líquidos: Substância manipuladas no estado líquido como: Gasolina, Benzeno, ácidos, etc. O principal meio de absorção é por ingestão e pelo contato com as mucosas, em diversos casos o contato com a pele pode causar desde irritações à graves queimaduras;

Ácido Sulfúrico
Exemplo de frasco Ácido Sulfúrico

Sólidos: Encontradas no ambiente em estado sólido como: poeira, fibras, chumbo, etc. Geralmente a absorção é feita pelo organismo por ingestão e contato com a pele, porém no caso de partículas, como a poeira, a absorção pode ser por meio respiratório.

magnesia em pó
Exemplo de magnésia em pó

Efeitos causados pelos riscos químicos

Pelo fato dos riscos químicos advirem dos agente químicos já citados, os efeitos no organismo podem ser diversos, variando do tipo de agente, a forma de contato, etc.

Agentes Asfixiantes

trabalhador com máscara de gás

São agentes capazes de impedir a respiração, barrando a entrada de oxigênio e sufocando o atingido, causam desde dores de cabeça, sonolência à perca de consciência ou morte.

Os agentes asfixiantes são divididos entre simples e químicos, os agentes simples não agem no organismo, mas sim na atmosfera, alterando a quantidade de oxigênio na ocasião, já o químico age no organismo do trabalhador, impedindo a entrada de oxigênio, como por exemplo o Monóxido de Carbono (CO)

Agentes anestésicos

butano
Butano é um gás inflamável, comumente usado em isqueiros e fogões. Se inalado causa efeitos depressivos no sistema nervoso

São agentes que comumente causam ações depressivas e narcóticas no sistema nervoso central, incluindo tontura, alterações visuais e auditivas, e pode acarretar perca de consciência, porém estes tipos de agentes também podem causar problemas em outras partes do organismo, principalmente no fígado e nos rins.

Os agentes anestésicos mais comuns de se ocorrerem contaminação são gases como butano e propano, devido à facilidade de absorção pela respiração, porém alguns líquidos como cetonas e benzeno possuem os mesmo efeitos se ingeridos ou entrarem em contato com mucosas.

Agentes tóxicos

São agentes que em contato com o organismo, são capazes de produzir lesões estruturais ou funcionais em órgãos, causando intoxicação, podem ser ingeridos ou inalados e o risco aumenta conforme o tempo de exposição.

Partículas de chumbo ou benzeno estão entre os mais comuns de serem absorvidos e causarem intoxicação.

Agentes cancerígenos

urânio
Exemplo de pedaço de urânio, material extremamente radioativo que em contato com nosso organismo pode causar câncer.

São agentes que em contato com o organismo causam o crescimento de tumores malignos, na maioria dos casos a absorção vem por inalação ou contato com a pele.

Agentes radioativos utilizados em máquinas de raio x e em usinas nucleares são os mais comuns e associados á este tipo de contaminação, pelo fato de agirem alterando o ‘relógio biológico’ das células fazendo-as crescerem em ritmo bem maior que o normal, gerando tumores.

Outros tipos de agentes químicos

  • Agente irritantes: Causam irritação na pele ou nas vias aéreas. Ex: Cloro;
  • Agente alergênicos: Causam reações alérgicas, geralmente em quem já possui alergia ao material envolvido. Ex: Cimento;
  • Agente mutagênicos: Provocam problemas hereditários. Ex: Fetos podem possuir diversos problemas de QI, aprendizado, comportamento após o nascimento se a mãe for contaminada por chumbo durante a gravidez;
  • Agentes Corrosivos: Em contato com tecidos biológicos destroem células epiteliais e outras. Ex: Ácido fluorídrico por ter moléculas extremamente pequenas podem penetrar e dissolver até tecidos ósseos;
  • Agentes Inflamáveis: Agentes que se tiverem contato com alguma fonte de ignição, como o fogo, entram em combustão, causando explosões. Ex: Metano.

Como se prevenir contra os Riscos Químicos

roupa de proteção quimica

O principal passo para a prevenção é justamente o primeiro, que é reconhecer o risco no ambiente de trabalho, reconhecimento este que pode ser feito durante o PPRA. A partir do reconhecimento as medidas preventivas já podem começar à serem adotadas.

Durante o reconhecimento dos riscos químicos, uma avaliação deles é necessária para definir se realmente fornecem riscos à saúde do trabalhador exposto, os seguintes tipos de avaliação devem ser seguidos:

Avaliação Quantitativa: Esta análise só é feita em substâncias das quais hajam, previamente, dados disponíveis sobre a relação dose/efeito, cada agente deve ser avaliado separadamente, para cada um, é necessário determinar qual sua concentração no ar dentro do ambiente.

Avaliação Qualitativa: Este tipo de avaliação só é feito em caso de agentes dos quais não foram definidos os limites de exposição ocupacional, levando em conta a natureza do agente e sua concentração.

Após o reconhecimento dos riscos e de sua avaliação, as medidas preventivas devem começar à ser adotadas, a primeira a ser usada é o fornecimento de Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC), como exaustores, capelas químicas, lava-olhos, etc.

Nos casos em que os EPC’s não fornecerem proteção completa aos trabalhadores, os EPI’s devem ser fornecidos dependendo de qual agente está sendo exposto ao funcionário.

Complementarmente aos Equipamentos de Proteção, a conscientização, fornecimento de treinamentos (sobre os riscos químicos que estão expostos, sobre a maneira correta de manipular os agentes em questão, sobre o uso correto dos equipamentos de proteção, etc.) e inspeções rotineiras são de extrema importância para a minimização destes riscos.

O eSocial na Gestão de Produtos Químicos

Com a chegada do eSocial, a gestão de produtos químicos na SST pode ser simplificada e formalizada, facilitando o controle dos riscos e resultando numa redução dos acidentes envolvendo os agentes que citamos aqui.

Neste caso específico dos profissionais que atuam com o processamento, armazenamento e transporte de produtos químicos, as exigências do Sistema eSocial para as indústrias contribuirá na redução de acidentes de trabalho e dos níveis de riscos, insalubridade e periculosidade.

A Gestão de Produtos Químicos, principalmente, a classificação, rotulagem preventiva e ficha com dados de segurança de produto químico integrada com o Sistema eSocial permitirá formalizar os processos de monitoramentos dos ambientes de trabalho e a exposição ocupacional dos trabalhadores.

Assim, a “detecção precoce de exposição perigosa pode diminuir significativamente a ocorrência de efeitos adversos na saúde.”

Gestão de produtos quimicos no ambiente de trabalho
Gestão de produtos quimicos no ambiente de trabalho

No eSocial, a Gestão dos Produtos Químicos será responsável por alimentar e subsidiar várias informações, conforme segue:

  • Registrar as informações de cadastro da indústria, conforme o Evento Tabela S-1005 – Estabelecimentos, Obras ou Unidades de Órgãos Públicos;
  • Registrar os ambientes de trabalho ou industriais (setores, áreas ou locais) da empresa nos quais existe uma exposição ocupacional de produtos químicos, gerando o Evento Tabela S-1060 – Ambientes de Trabalho;
  • Identificar os Fatores de Riscos Químicos relacionados na Tabela 23 do eSocial, que corresponde aos fatores de risco do meio ambiente de trabalho. Informações descritas no Evento S-2240 – Condições Ambientais do Trabalho. Neste caso, serão vinculadas informações de cada trabalhador ao ambiente de trabalho na qual são exercidas as atividades industriais e existe uma exposição aos produtos químicos. Será obrigatório o monitoramento da exposição que consiste em uma avaliação e interpretação de parâmetros biológicos e/ou ambientais, com a objetivo de identificar os possíveis riscos à saúde do trabalho.

Neste evento, também serão registrados todos os equipamentos de proteção individual ou coletivos que forem utilizados no ambiente para mitigar ou prevenir riscos de produtos químicos.

  • Monitorar a saúde do trabalhador com informações relativas com os Atestados de Saúde Ocupacional (ASO) e exames complementares durante o período de execução das atividades e vigência do contrato do trabalho, registro realizado no Evento S-2220 – Monitoramento da Saúde do Trabalho.
  • Registrar os treinamento, capacitações obrigatórias e exercícios simulados realizados com os profissionais que estão expostos aos produtos químicos, conforme o Evento S-2245 – Treinamento, Capacitações e Exercícios Simulados.
  • Informar se a exposição aos produtos químicos declaradas no evento S-2240 implicam no pagamento ao trabalhador dos adicionais relacionados com a Insalubridade, Periculosidade ou se reconhece a exposição as condições risco para fins de Aposentadoria Especial e o respectivo custeio (Aposentadoria Especial – FAE).
  • Informar os afastamentos temporários por motivo de acidentes e agravos relacionados com a exposição do trabalhador aos produtos químicos, conforme Evento S-2230 – Afastamento Temporário.

Registro dos Riscos Químicos OnSafety

Prepara-se para as mudanças que são necessárias para integrar a Gestão de Produtos Químicos e o Sistema eSocial.

São necessários esforços para estabelecer melhorar os procedimentos que existem no controle dos produtos químicos e, principalmente, criar novas rotinas que evitem erros de informação.

A Plataforma OnSafety permite manter atualizada todas as informações dos seus trabalhadores, ambientes de trabalhos e riscos ocupacionais relacionados com produtos químicos no eSocial.

Tudo de uma forma segura e ágil, evitando multas e penalidades pela falta de informação e comunicação. Veja como é fácil trabalhar com o eSocial com a tecnologia e integrar a Gestão de Produtos Químicos.

Comments:1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ajuda