Como preparar o local de trabalho para enfrentar o Coronavírus (Covid – 19)

coronavirus no ambiente de trabalho

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
infográfico cultura de segurançaPowered by Rock Convert

Em janeiro de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) noticiou o surto de uma nova doença denominada de Coronavírus e os primeiros casos apareceram, em 2019, na província de Hubei, na China. E, desde então diversos órgãos internacionais da saúde vem tratando o Coronavírus (COVID-19) como uma emergência de saúde pública de interesse internacional.

O Coronavírus (COVID-19) está se espalhando rapidamente para diferentes países ao redor do mundo, gerando um impacto social e econômico a uma velocidade que precisamos nos preparar para enfrentar a doença nos ambientes de trabalho nos próximos dias.

Para se ter uma dimensão em tempo real, na hora (09:45 – 12/03/2020) que a nossa Equipe OnSafety estava preparando as recomendações sobre como preparar o local de trabalho para enfrentar o Coronavírus (Covid-19), no Painel da Situação do COVID-19, atualizado em tempo real pela OMS, já estavam confirmados mais de 124 mil casos, 4.607 mortes e o COVID-19 estava espalhado em 118 países, com a maior concentração na China e Itália.

Painel da Situação do Coronavirus (COVID-19) – Fonte: OMS (2020) – Acesso: 09:45 – 12/03/2020.

No Brasil também estavam confirmados 49 casos, a maior parte concentrados em São Paulo, mas também estão em observação pacientes nos estados de Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais, Pernambuco, Distrito Federal, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, entre outros.

A OMS e as autoridades de saúde pública de vários países estão tomando medidas para conter o surto de COVID-19. Especificamente, no Brasil, alguns governos estaduais estão começando a vetar aulas, eventos públicos e passaram a recomendar que as pessoas em locais de concentração como, por exemplo, bares, restaurantes, shoppings, fiquem em mesas a uma distância mínima de 2 metros.

Alerta para a pandemia

Desde que foi publicado pelo Diretor General da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira (11/03), que agora o surto global do COVID-19 pode ser descrito como uma pandemia, caracterizada, primeiramente, pela velocidade e escala de transmissão da doença, e, segundo, porque alguns países não estão enfrentando essa ameça com o nível de compromisso político necessário para controlar a doença, a situação vem ficando mais crítica no Brasil.

Enquanto aguardamos uma estratégia ou um plano de ações sobre como e quais são as medidas fundamentais de saúde pública que devemos adotar para controlar a COVID-19 e evitar um colapso ou mais problemas para o Sistema de Saúde Pública do Brasil, a Equipe OnSafety está pedindo para os profissionais da Segurança e Saúde do Trabalho, os usuários da tecnologia, clientes, seguidores das redes sociais, colaboradores, fornecedores, investidores, parceiros, amigos e familiares, desempenhar um papel mais preventivo e adotar medidas mais severas para evitar a propagação da doença nos ambientes de trabalho.

Quais são os Sintomas e Como o COVID-19 se Espalha?

A OMS mantém um página na web com orientações sobre o COVID-19 de como as pessoas podem se proteger, com orientações técnicas, clínicas e epidemiológicas do vírus, cuidados a serem adotados na hora de viajar e uma seção geral de perguntas e respostas para a população sobre rumores falsos ou fakenews relacionadas com o coronavírus (COVID-19).

O vírus COVID-19 pertence a uma família de vírus que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais, geralmente, semelhantes a um resfriado comum. É uma doença que pode sair de um quadro leve, moderado e se transformar grave ou até levar a óbito.

É classificado como uma doença respiratória, portanto, quando alguém tem o COVID-19 pode ter febre, dificuldade para respirar, dor de cabeça, tosse, entre outros sintomas similares a um resfriado.

O vírus é transmitido pelo contato entre as pessoas ou quando tossir ou exalar ou liberar saliva as gotículas de líquido infectado caem sobre superfícies e objetos próximos, tais como, mesas, teclados, cadeiras, ou telefones, e outras pessoas entram em contato com a superfície.

Informações Gerais do COVID-19 (Fonte: OSHA, 2020)

No ambiente de trabalho as pessoas podem pegar o COVID-19 tocando as superfícies ou objetos contaminados e depois tocando seus olhos, nariz ou boca. Outro meio de transmissão é o ar como, por exemplo, os trabalhadores que estão de pé, até uma distância um metro de uma pessoa com COVID-19, podem pegar o vírus respirando as gotículas suspensas no ar. Em outras palavras, o COVID-19 se espalha de maneira semelhante à gripe.

A maioria das pessoas infectadas com COVID-19 apresentam sintomas leves e se recuperam. Entretanto, alguns passam a experimentar outras infecções mais graves da doença como, pneumonia e complicações renais, complicações que exigem mais cuidados hospitalares.

Grupo de risco:

O risco de doenças graves aumenta com a idade: pessoas acima de 40 anos parecem ser mais vulnerável do que aqueles com menos de 40 anos. Pessoas com sistema imunológico enfraquecido e condições como diabetes, doenças cardíacas e pulmonares também são mais vulneráveis a doenças graves.

Neste caso, fique atento aos trabalhadores que apresentam no seu histórico clínico algumas dessas doenças e apresentam sintomas parecidos aos de uma gripe.

Preparando o Local de Trabalho para o COVID-19

OMS, o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC), assim como, o Centro Canadense de Saúde e Segurança no Trabalho (CCOSH) vem publicando constantemente informações sobre como prevenir e controlar o Coronavírus (COVID-19) nos locais de trabalho.

A área de Segurança e Saúde do Trabalho (SST) pode adotar medidas simples e de baixo custo para impedir a propagação do COVID-19 entre os colaboradores, clientes, fornecedores e terceiros. A nossa proposta é que cada um possa praticar e adotar as ações nos ambientes de trabalho, mesmo que não existam casos confirmados no COVID-19 no município ou região.

Além de evitar a propagação das infecções no ambiente de trabalho como, por exemplo, resfriados, problemas de gripe e estomago, ajudaram a reduzir os riscos, bloquear a chegada do COVID-19 e reduzir os dias úteis que podem ser pedidos devido ao afastamento de trabalhadores com os sintomas. Entre as medidas que podem ser utilizada para prevenir o COVID-19, destacamos:

  • Defina uma política que descreva as medidas que vão ser adotadas para quando as pessoas manifestam os sintomas do COVID-19. A política deve considerar as medidas de comunicação internas, os procedimentos de faltas ou ausências do colaborador e requisitos que são necessários para o atestado médico ou comunicação externa por parte de um familiar.
  • Verifique frequentemente se os locais de trabalho estão limpos e higienizados. As superfícies por exemplo, mesas, cadeiras, corrimãos, entre outros, e objetos (telefones, teclados, máquinas, equipamentos de uso coletivo) precisam ser limpos com desinfetante regularmente. Lembre-se que uma das as principais maneiras pelas quais o COVID-19 se espalha é pela contaminação em superfícies tocadas por colaboradores, clientes, terceiros e fornecedores.
  • Promova uma campanha de lavar as mãos entre os colaboradores, clientes, fornecedores e terceiros. Essa é uma ação que pode ser facilitada com a instalação de dispensers higienizadores de mãos em locais de circulação no local de trabalho. Certificar-se que os dispositivos sejam recarregados regularmente.
  • Divulgue em painéis a limpeza das mãos e outros cuidados com a saúde, verifique se a autoridade de saúde pública do local disponibiliza material ou desenvolva seu próprio material. Essa medida de comunicação pode ser combinada com palestras, workshops de orientação oficial de saúde e segurança ocupacional, briefings em reuniões e informações na intranet para promover a limpeza das mãos.
  • Certifique-se de que colaboradores, fornecedores, terceiros e clientes tenham acesso aos locais para lavar as mãos com água e sabão. Lembre-se que a limpeza mata o vírus nas suas mãos e evita a propagação do COVID-19.
  • Promova a higiene respiratória no local de trabalho. Isso pode ser exibido com cartazes promovendo a higiene respiratória. Além disso, ofereça uma orientação para reduzir poeiras, garantir a circulação do ar, abrir janelas, evitar o acumulo de sujeiras e manter o local de trabalho limpo e organizado. É possível disponibilizar lenços de papel nos seus locais de trabalho, para aqueles que desenvolvem coriza ou tosse no trabalho, além de caixas fechadas para um descarte higiênico e seguro. Uma boa higiene respiratória impede a propagação do COVID-19 pelo ambiente de trabalho.
  • Aconselhe os colaboradores ou contratados sobre cuidados preventivos que devem ser tomados antes de viajar a negócios. Sugira consultar os órgãos ou agências de saúde sobre a situação emergencial do COVID-19 no local de destino. No retorno também é necessário monitorar se aparecem sintomas do COVID-19, pelo mínimo 14 dias, verificando a temperatura corporal com uma certa frequência durante o dia de trabalho.
  • Informe seus colaboradores, fornecedores, terceiros e clientes que, se o COVID-19 começar a se espalhar na comunidade, qualquer pessoa com tosse leve ou febre baixa (37,3° C ou mais) precisa permanecer no local de residência. Recomenda-se que neste momento crítico de propagação do vírus devem ficar em casa (ou trabalhar em casa) se tiverem que tomar simples medicamentos, como paracetamol / acetaminofeno, ibuprofeno ou aspirina, visto que podem mascarar sintomas de uma possível infecção.
  • Implante um processo para identificar pessoas que possam estar em risco e apoiá-las, sem criar um estigma e discriminação no local de trabalho. Isso pode incluir pessoas que viajaram recentemente para uma área que relata casos ou pessoas que tem maior risco porque têm doenças graves como, por exemplo, diabetes, doenças cardíacas e pulmonares, ou ainda, tem idade avançada.
  • Evite fazer reunião de negócios ou de qualquer outro tipo no ambiente de trabalho em espaços fechados com baixa circulação de ar. Elabore um plano B para as situações em que os colaboradores tenham que ficar em casa como, por exemplo, continuar trabalhando temporariamente de uma forma remota, usando mecanismos virtuais de troca de informações ou acesso aos sistemas da empresa.

Comunicação, Conscientização e Prevenção

A comunicação, conscientização e prevenção são os principais mecanismos que podemos utilizar nos nossos ambientes de trabalho para reduzir a propagação do COVID-19.

Continue comunicando e promovendo a mensagem de que as pessoas precisam ficar em casa mesmo se tiverem apenas sintomas leves de COVID-19.

Seus serviços de saúde ocupacional, autoridade local de saúde pública ou outros parceiros podem desenvolver materiais de campanha para promover esta mensagem. Deixe claro para os colaboradores que eles poderão contar esse tempo como licença médica.

Neste momento é hora de se preparar para o COVID-19. Precauções e ações preventivas simples bem planejadas podem fazer uma grande diferença no seu local de trabalho, na sua casa e/ou comunidade. Além disso, são medidas que também protegem o desempenho dos negócios ou atividades industriais.

Devemos nos esforçar para encontrar um bom equilíbrio entre proteger a saúde, impedir perturbações econômicas (aumentar o desemprego) e sociais e respeitar os direitos dos trabalhadores. Neste cenário que está mudando a toda hora é necessário preparar as pessoas, as instalações de saúde, prevenir e tratar os casos para quebrar a cadeia e reduzir a transmissão.

O Diretor General da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, publicou uma nota, hoje, 12/03/2020, na qual destaca que para salvar vidas, precisamos reduzir a transmissão. Isso significa encontrar e isolar o maior número possível de casos e colocar em quarentena os contatos mais próximos que manifestam sintomas.

Mesmo que você não consiga interromper a transmissão, você pode desacelerá-la e proteger instalações de saúde, lares para idosos, escolas das crianças e outras áreas da comunidade. Ainda, destacou que este é um novo vírus e uma nova situação. Todos devemos encontrar formas inovadoras de controle e compartilhar as lições para outros locais.

Lembre-se que é hora de compartilhar conhecimento, práticas ou qualquer medidas que possa ajudar a reduzir o risco de uma situação mais críticas para os nossos colaboradores. Contamos com seu apoio e uma atitude simples de compartilhar!

Ajuda