Aprimorando a Gestão da Segurança do Trabalho com o eSocial

Aprimorando a Gestão da Segurança do Trabalho com o eSocial

Na edição desta semana destacamos como os profissionais da área de Segurança e Saúde do Trabalho podem aprimorar o processo de Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho a partir dos eventos não-periódicos solicitados pelo Sistema eSocial nas nossas indústrias. Uma boa leitura.

Custos de Acidentes de Trabalho

A Gestão em Saúde e Segurança do Trabalho (SST) é um conjunto de processos e atividades que tem como objetivo garantir ao trabalhador que suas funções sejam realizadas de forma segura e saudável em locais de trabalho adequados. Além dos benefícios óbvios ao próprio trabalhador, uma gestão eficiente garante à empresa uma redução de custos relacionados a eventos não planejados ocorridos com os funcionários, reduzindo custos com afastamento, substituição de mão-de-obra, multas e indenizações.

Um dos maiores resultados de uma boa gestão de SST é a redução dos custos relacionados com a previdência social. Neste caso, o Fator Acidentário de Prevenção (FAP) que é o multiplicador da alíquota do Risco Ambiental do Trabalho (RAT). É um custo que a sua empresa repassa todos os meses para a Previdência Social, cujo órgão é responsável por repassar um auxílio ou benefício ao trabalhador ou família no caso de afastamentos decorrentes por acidentes ou doenças profissionais, entre outros auxílios acidentários e/ou previdenciários.

Quer saber mais sobre FAP/RAT?
.

Processos inadequados de Segurança e Saúde do Trabalho, acidentes de trabalho, a exposição irregular aos riscos, erros no controle de entrega de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), entre outras situações geram um impacto econômico para a sociedade. As estatísticas disponíveis na Secretaria de Previdência e publicados no Relatório Anual de Estatístico da Previdência Social demonstram que a quantidade de benefícios do de Auxílio-Doenças Previdenciários concedidos no período de 2015 e 2017, aumentaram 9%, consequentemente, também houve um crescimento de 15% nos gastos da previdência relacionados aos benefícios concedidos (SP, 2018 e AEPS, 2018).

A redução observada no caso do benefício Acidentário concedido pela agência (-3%), pode ser atribuída ao número menor de acidentes de trabalho notificados para as agências no mesmo período, cerca de 12% a menos em 2017 (549.405) que em 2015 (622.379) do total. Isso pode ser associado ao crescimento da economia informal no Brasil que leva a perder direitos trabalhistas no caso de acidentes de trabalho.

Quer saber como reduzir o FAP da sua empresa?
.

As estatísticas demonstram que os principais benefícios de auxílio-doença concedidos para o trabalhador, em 2017, estão relacionados com os acidentes que provocaram lesões, envenenamento e algumas outras consequências de causas externas a atividades profissionais desenvolvida na empresa (S00-T98) e doenças do sistema osteomuscular e do tecido conjuntivo (CID 10 M00-M99), representando 66,8% e 20,7%, respectivamente, conforme dados disponíveis na Secretaria da Previdência (SP, 2018).

O reconhecimento da relação entre um acidente de trabalho e/ou agravo à saúde e o trabalho ajuda a estabelecer uma relação causal, procedimentos de trabalho mais seguros e o monitoramento mais efetivo da saúde com exames clínicos e exames complementares. Neste caso, para atividades que provocaram lesões ou LER/Dort é necessário que os profissionais de SST considerem no processo de gestão a duração da jornada de trabalho, a necessidade de pausas para descanso da atividade, a falta de organização do trabalho, o excessivo controle da atividade, as relações interpessoais no ambiente de trabalho, características da cultura organizacional, entre outros aspectos destacados no Caderno de Atenção Básica da Saúde do Trabalhador (2018).

Gestão da Saúde e Segurança do Trabalho

No Brasil temos avançado bastante no que diz respeito à saúde e segurança do trabalhador. Em 2018, foi lançada a norma ISO 45001:2018 – Sistemas de gestão de saúde e segurança ocupacional – Requisitos com orientação para uso que apresenta os requisitos para um sistema de gestão de saúde e segurança ocupacional (SSO) e fornece orientação para seu uso para empresas de qualquer porte. Além disso, a norma conta com um conjunto robusto e efetivo de processos para melhorar a segurança do trabalho, com o objetivo de reduzir lesões e doenças.

A seguir apresentamos um resumo das principais etapas do processo de implantação de um Sistema de Gestão de Segurança e Saúde do Trabalho e que são descritos na norma ISO 45001:2018.

  • Defina uma Política de SST, Objetivos e Programas, Responsabilidade e Autoridade e Gestão de Mudanças no ambiente organizacional;
  • Promova a formação, envolvimento, comunicação, e capacitação dos trabalhadores com uma visão da cultura de segurança;
  • Desenvolva um processo sistemático e robusto para a Identificação, Avaliação e Controles de Riscos no ambiente de trabalho;
  • Consulte e atenda aos Requisitos legais. Registre as evidências do atendimento da legislação aplicável, evitando perdas em questões judiciais;
  • Crie um sistema de monitoramento e indicadores da Segurança e Saúde do Trabalho e a Análise de Incidentes;
  • Desenvolva procedimentos de Preparação e resposta a emergências;
  • Realize periodicamente uma análise crítica do ambiente de trabalho, práticas e atitudes dos trabalhadores;
  • Desenvolva um programa de auditoria de Segurança e Saúde de trabalho.

Para saber mais sobre a ISO 45001:2018

É fundamental também promover uma Cultura de Segurança do Trabalho por meios de sistemáticas de avaliação, monitoramento e controle dos riscos do ambiente de trabalho, evitando situações inseguras e acidentes de trabalho. Usar uma tecnologia no dia-a-dia do profissional de Segurança e Saúde do Trabalho contribuirá no processo de preparação de ações preventivas e planos de emergência.

Fique atento ao lançamento de tecnologias móveis visto que estão introduzindo mudanças na forma como as pessoas se comunicam, trabalham e aprendem, sendo uma alternativa para consolidar boas práticas de SST na sua indústria. A Equipe OnSafety fez uma avaliação comparativa (benchmarking) das características funcionais de sistemas disponíveis no mercado para a Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho. Para acessar é só mais um click.

Integração do eSocial e a Gestão da SST

Outro avanço recente e que pode e deve contribuir para a Gestão de Saúde e Segurança do Trabalho são os requisitos que são exigidos pelo Sistema Digital e-Social. O eSocial começou a ser obrigatório em janeiro de 2018 para algumas empresas e está em fase de implementação, deverá ser usada para enviar diversas informações relacionadas às empresas e seus empregados, variando desde dados referentes à admissão do funcionário até outros relacionadas à SST, como riscos do ambiente e acidentes de trabalho, por exemplo.

Os principais benefícios associados ao uso do e-Social pelas empresas referem-se à diminuição da burocracia e simplificação no processo de envio de dados ao Governo Federal. Além desses benefícios, podemos salientar os benefícios relacionados à Saúde e Segurança do Trabalhador e à gestão eficiente dos itens de SST. Considerando que todos os dados deverão ser disponibilizados pelas empresas de forma clara e objetiva, o trabalhador terá a garantia que a empresa cumpre as obrigações relacionadas à Saúde e Segurança estabelecidas por lei.

Pelo lado das empresas, o eSocial deverá ajudar na gestão de SST, tornando-a mais eficiente, já que as mesmas terão informações mais claras sobre todos itens e atividades que deverão ser implementadas e avaliadas periodicamente. Somado a isso, uma vez que tais itens serão medidos e reportados, ficará mais evidente para as empresas quais ações deverão ser tomadas a fim de melhorar o desempenho de SST.

A relação dos princípios básicos de Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho com a rotina de trabalho do eSocial demanda dos profissionais uma formação mais adequada aos métodos e práticas de gestão e avaliação da SST, com o objetivo de melhorar o uso das informações e tomada de decisão a partir das informações do eSocial.

O primeiro passo é uma gestão de riscos do trabalho que promova um ambiente seguro e confortável para o trabalhador, garantindo um bom desempenho nas atividades operacionais. Práticas que permitem desenvolver um processo sistemático e robusto para a identificação, avaliação e controles de riscos no ambiente de trabalho, conforme princípio da ISO 45001:2018.

A avaliação de riscos exigida pelo evento não-periódico (S-2240 Condições Ambientais do Trabalho – Fatores de Riscos) é uma obrigatoriedade do eSocial que permitirá analisar possíveis erros do trabalhador e seus impactos ou consequências no caso de um acidente de trabalho. A prática permitirá realizar periodicamente uma análise crítica do ambiente de trabalho, práticas e atitudes dos trabalhadores.

Gestão em SST: Plataforma eSocial
.

Outro evento não-periódico para a Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho é o controle e registro do Treinamento, Capacitações, Exercícios Simulados e Outras Anotações (S-2245). É uma prática que promove a formação e a capacitação dos trabalhadores com uma visão da cultura de segurança e torna mais eficiente a tomada de decisão, elaboração de planos de ações preventivas e procedimentos de preparação e resposta a emergências.

No processo de envolvimento e comunicação dos trabalhadores é fundamental valorizar a experiência e conhecimento, valores culturais e preservar o clima organizacional. Aspectos que devem ser refletidos pela política de SST, respeitados pelas autoridades de gestão e alinhados com os programas de melhoria da SST. Neste caso, informações dos eventos S-2220 Monitoramento da Saúde do Trabalhador e S-2221 Exame Toxicológico do Motorista Profissional são avaliação fundamentais para estabelecer programas de apoio ao trabalhador que preservem a saúde e promovam o bem-estar.

Levantamento de Informações para o eSocial
.

A análise de incidentes também em um fonte de lições aprendidas que pode ser utilizada a partir do evento S-2210 Comunicação de Acidentes de Trabalho que obriga as empresas a informar esses eventos não-periódicos. A prática deve ser acompanhada de um programa de auditoria  e um sistema de monitoramento de indicadores de Segurança e Saúde do Trabalho, garantido o atendimento dos requisitos legais. Todas os eventos da Segurança e Saúde do Trabalho exigidos pelo eSocial estão disponíveis no seu smartphone com o Sistema OnSafety. A tecnologia envia as informações ao eSocial e gera informações para a Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho.

Relato de um Boa Gestão da Segurança do Trabalho

E quando a Gestão de Saúde e Segurança do trabalho é eficiente, diversos são os benefícios alcançados pelas empresas como, por exemplo, podemos citar o caso da empresa Concrejato. A Concrejato oferece uma série de serviços especializados de engenharia civil para o mercado nacional e tem a meta de zero acidentes em suas operações.

Para atingir esse objetivo, além de conhecer as normas e exigências legais, a empresa escolheu o Sistema OnSafety para monitorar e controlar a Saúde e Segurança de Trabalho. A tecnologia apoia a execução de diversas atividades relacionadas com as auditorias de requisitos legais, específicos da atividade e/ou geração de relatórios, o Controle de EPI’s, análise das condições ambientais, entre outras atividades realizadas pelos profissionais da área.

O uso do Sistema OnSafety permitiu à empresa reduzir o tempo na elaboração de relatórios e aumentar o número de inspeções realizadas. Além disso, o OnSAfety facilitou a visualização de não conformidades e situações de risco do trabalho. Ou seja, com a ajuda da tecnologia, a empresa conseguiu focar seu trabalho na etapa de prevenção dos acidentes, que, como sabemos, é a etapa mais importante na Gestão de SST.

A Auditoria de Segurança e Saúde do Trabalho é uma das principais etapas do Sistema de Gestão de SST e ponto de partida para análise da empresa. A auditoria permite avaliar em profundidade todos os itens relacionados à SST e identificar os pontos fortes, fraquezas e oportunidades de melhoria.

Para realizar uma auditoria completa e detalhada, leva-se muito tempo para a execução da mesma e para elaboração dos relatórios. Por isso, o uso da tecnologia se torna essencial nessa etapa, uma vez que ajuda a orientar os itens a serem avaliados e ainda auxilia na criação dos relatórios, aumentando a produtividade da equipe de SST e melhorando a qualidade das avaliações.

O OnSafety também conta com outras funcionalidades que facilitam o trabalho de sua equipe, simplificando a coleta, integração e comunicação da área de segurança. Adicionalmente, auxilia a avaliar as informações obtidas, com relatórios em tempo real e análise completa do sistema de segurança para garantir que sua empresa está cumprindo com os requisitos legais.

3 Passos para Preparar uma Auditoria de SST
.

Veja como a nossa tecnologia ajuda a melhorar o desempenho da área de SST na indústria no Canal OnSafety. Também podemos agendar uma reunião para apresentar os benefícios do OnSafety? Será uma conversa rápida e produtiva, CLIQUE AQUI.

Comments:1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.